Trabalhar a gestão de tráfego é essencial para que você atraia mais visitas para a sua página.

Ou seja, a princípio é direcionar as pessoas que estão navegando pela internet e levá-las até seu canal de divulgação, seja ele site, redes sociais, anúncios, etc.

Contudo, você verá adiante que vai, além disso.

Por isso, traçar uma boa estratégia para gerir tráfego e garantir um fluxo constante de visitantes é um dos principais objetivos das empresas.

Sobretudo, porque além de melhorar o posicionamento de sua marca, essa prática aumenta o engajamento e gera mais receita.

Mas, qual estratégia de gestão é a melhor?

A orgânica ou a paga?

Por que não juntar as duas?

Acompanhe o artigo, pois falaremos mais sobre isso.

O que é gestão de tráfego

Inicialmente, precisamos dizer que a gestão de tráfego dos seus canais digitais também significa gerar tráfego a partir de variadas fontes.

Além disso, também tem a ver com a segmentação do público para atingir leads qualificados, isto é, pessoas realmente interessada nas soluções que você oferece.

Pensa comigo:

No mundo conectado em que vivemos, os consumidores estão na internet buscando soluções para resolver um determinado problema.

Mas, com tanta concorrência, pode ser que eles nem vejam o conteúdo da sua empresa, mesmo que ele seja relevante.

Um tanto quanto frustrante, não é verdade?

Mas, é possível ter mais visibilidade na internet com um bom gerenciamento de tráfego.

Como gerenciar o tráfego

Para realizar esse gerenciamento, primeiro você precisa definir se sua estratégia será focada em tráfego pago, orgânico ou na junção de ambas.

Sim, é perfeitamente possível criar uma tática conjunta baseada em SEO e Ads, por exemplo.

Mas, antes vejamos sobre cada uma dessas opções:

Gestão de tráfego pago

A princípio, se você optar pelo tráfego pago, será preciso entender como funcionam as ferramentas disponíveis.

As principais fontes deste tipo de tráfego são as plataformas de anúncios publicitários, ou Ads, como também são chamadas. As mais usadas são:

  • Google Ads;
  • Facebook Ads;
  • YouTube Ads;
  • Linkedin Ads;
  • Instagram Ads .

Vale ressaltar que cada uma dessas plataformas conta com um funcionamento interno próprio.

No entanto a maioria possui uma dinâmica similar que permite criar a publicação, escolher o direcionamento e a forma de cobrança.

Além disso, também existem várias métricas que ajudam a aprimorar esta estratégia.

Alguns exemplos são custo por Mil (CPM), Custo por Aquisição de Cliente (CPA), Custo por Lead (CPL) e Taxa de Cliques (CTR), entre outras.

Por outro lado, a gestão de tráfego orgânico funciona de maneira completamente diferente da paga.

Isso porque essa estratégia se baseia em técnicas de SEO que ajudam os usuários a encontrarem sua empresa nos mecanismos de busca, como o Google.

Então, para gerar tráfego orgânico, você precisa produzir conteúdos originais, úteis e com certa frequência.

Além disso, também é necessário fazer melhorias ou otimizações neste conteúdo.

Desse modo, é possível ampliar as possibilidades de ele aparecer nas primeiras posições da página de resultados do motor de busca.

Mas, e seu eu juntar SEO e Ads, o que acontece?

A princípio, com o Google Ads, por exemplo, você pode criar campanhas de anúncios segmentadas para que eles apareçam para os usuários que tem maior chance de comprar.

Assim, os anúncios são uma forma mais rápida de gerar tráfego e entrega mais resultados conforme você aumenta o investimento.

Já as ações de SEO atingem resultados semelhantes com menos investimento. Porém, o tempo de resposta é maior.

Apesar das duas estratégias partirem de abordagens diferentes, ambas permitem conhecer melhor o público.

Além disso, é possível aproveitar os conceitos do SEO para otimizar os anúncios do Google Ads.

Quer saber como?

Então, confira alguns exemplos:

Como você certamente já sabe, para criar anúncios no Google Ads, você precisa pensar nas palavras-chave que correspondem à busca das pessoas na internet.

Do mesmo modo, é necessário estudar os termos opostos, que devem ficar de fora do seu anúncio. Ou seja, essas são as palavras negativas.

Acontece que você pode usar esses termos em sua estratégia SEO.

Como?

Gerando conteúdo relacionado no blog ou redes sociais, caso seja uma busca popular.

Os title tags e as meta descriptions correspondem ao título e à pequena descrição que acompanham o resultado de uma busca no Google.

Quando o assunto é SEO estamos falando de detalhes importantes que formam as primeiras informações visíveis ao usuário após a busca.

Então, ignorá-los pode comprometer a sua estratégia de gestão de tráfego.

A boa notícia é que o Google Ads pode ajudar a melhorar o desempenho das orimizações dos title tags e meta descriptions

Basta ir ao Google Console, encontrar suas title tags que são bem ranqueadas, mas que precisam de melhorias para converter.

Em seguida, pense em aprimorar os resultados.

Depois, use AdWords será o de testar a efetividade dos novos títulos e metas.

Para isso, crie uma campanha de anúncios e inclua as title tags a serem testadas no título do anúncio.

Se você usar as ferramentas de mensuração do AdWords você saberá quais tiveram a melhor performance na conversão de cliques.

Assim, você pode usar as que tiveram melhor resultado como suas novas meta descriptions e title tags.

Se você já trabalha com SEO em sua empresa, você conhece o poder dos CTAs, ou “Call to action”.

Afinal, esses links e botões são essenciais, pois, levam a pessoa que está consumindo um conteúdo a realizar uma determinada ação.

Pode ser comprar algo, ou ser direcionado a ler um artigo, por exemplo.

Em outras palavras, os CTAs mantém o usuário engajado com o conteúdo do site, portanto são fundamentais para uma boa estratégia de gestão de tráfego orgânico.
Já no Google Ads, os CTAs são as extensões do anúncio.

Na ferramenta, é possível colocar até 10 extensões, que servem para destacar os atributos únicos do seu negócio, trazendo informações que o público deseja saber.

Além disso, a proposta das chamadas para uma ação é otimizar a experiência do consumidor, o que acaba aumentando a taxa de conversão.

Agora que você já sabe que as técnicas de SEO e Ads funcionam juntas, você está pronto para complementar suas estratégias e obter melhores resultados com a gestão de trafego.

Caso você não tenha um profissional gestor de tráfego em sua equipe recomendamos que você busque o suporte de uma agência especializada em tráfego orgânico e pago.

ORÇAMENTO